Home » Fisioterapia » Fisioterapia Pediátrica E Neonatal Quais São Seus Objetivos?

Fisioterapia Pediátrica E Neonatal Quais São Seus Objetivos?

A Fisioterapia Pediátrica e Neonatal, está relacionada a atuação da fisioterapia com crianças.

Desse modo, auxiliando-as a crescer e se desenvolver de forma saudável. Possibilitando a estas, um futuro independente.

Uma vez que, realiza o tratamento de reabilitação de bebês e crianças, que tenham problemas motores.

Logo, correndo o risco de ter seu crescimento afetado. Bem como, o seu desenvolvimento de seu organismo em todos os aspectos.

Sendo assim, esse profissional precisa ter jeito com crianças, e saber lidar com as dificuldades dos pequenos e jovens.

Muitas vezes, tornando essa atividade mais lúdica. Então, para saber mais sobre essa atuação, continue lendo!

O Que É Fisioterapia Pediátrica E Neonatal?

O Que É Fisioterapia Pediátrica E Neonatal

A fisioterapia pediátrica e neonatal, é uma das especialidades da área fisioterapêutica.

Combinando assim, diversos conhecimentos, equipamentos e técnicas, para gerar melhorias e sua recuperação.

Que diz respeito, aos tratamentos voltados desde recém-nascidos a crianças pequenas. Sendo classificadas como:

  1. Recém-nascido: até 28 dias de idades;
  2. Lactente: de 28 dias a 2 anos de idade;
  3. Primeira Infância: iniciada após os 2 anos de idade.

Logo, se faz importante o profissional dominar cada um desses períodos, para realizar avaliações e determinar tratamentos.

Uma vez que, essas são fases iniciais. Ou seja, os primeiros estágios de vida pós-nascimento do indivíduo.

Dessa forma, diversas mudanças fisiológicas e anatômicas ocorrem, e com uma maior rapidez.

Tornando estes pacientes tão diferentes dos adultos. Principalmente, nos sistemas respiratórios e cardiovasculares.

Isso porque, quanto ao sistema respiratório, os pequenos possuem menos alvéolos e uma ventilação colateral bastante baixa.

Mesmo que seus tecidos pulmonares sejam mais expansíveis. Além disso, os músculos inspiratórios dessa região, costumam ser mais fracos.

Já no sistema cardiovascular, existem problemas relativos a frequência cardíaca e baixo volume sanguíneo.

Ou seja, esse é um grupo considerado de risco. E, dessa forma, merece atenção redobrada e especializada em suas características.

Pensando nisso, entendemos a importância de uma correta aplicação de tratamentos fisioterapêuticos.

Se a função destes é a reabilitação, e a criança ainda está em desenvolvimento. Os cuidados devem ser reforçados.

Impedindo assim, que aconteçam complicações durante essa fase, que sejam refletidas em seu crescimento!

1. Objetivos Da Fisioterapia Pediátrica e Neonatal:

De maneira geral, esse tipo de fisioterapia visa a recuperação, proteção e promoção das funções dessas classificações de idade.

Mas, de forma mais específica dentro desse ambiente hospitalar. Encontramos objetivos específicos, tais como:

  • Manutenção: de todos os tipos de vias aéreas, em alguns casos através de reexpansão pulmonar, posicionamento e desobstrução brônquica;
  • Realização: da extubação, admissão, evolução, também da alta fisioterapêutica;
  • Auxílio: para processos de desmame ventilatório de acordo com cada faixa etária.

2. As Atuações Desse Tipo De Fisioterapia:

Desse modo, a fisioterapia de recém-nascidos, lactentes e crianças, é responsável por tratamentos como:

  • Desobstrução das Vias Aéreas;
  • Reexpansão Pulmonar;
  • Desmame Ventilatório em Neonatologia.

Fisioterapia Pediátrica e Neonatal: Tipos e Técnicas

Fisioterapia Pediátrica e Neonatal  Tipos e Técnicas

Agora, iremos falar um pouco mais sobre alguns tipos de tratamento de fisioterapias para os pequenos.

  • Ambulatorial: nestes casos, a atuação do fisioterapeuta se direciona ao desenvolvimento neuromotor. Ou seja, das funções motoras e neurológicas, juntamente ou separadas, por meio de terapias e procedimentos diferentes. Geralmente, devido a riscos de condições e doenças congênitas ou adquiridas, sendo preciso de atenção em casos de reabilitação, como uma prioridade.
  • Neuropediatria: destinada então, aos casos de lesões ou doenças neurológicas nestes pequenos pacientes. Visando assim, melhorias na amplitude de movimento articular, coordenação motor, equilíbrio, força e propriocepção. Pois, utiliza técnicas de psicomotricidade que levam a estimulação precoce.
  • Traumato-ortopedia Pediátrica: por fim, falamos da fisioterapia volta aos pacientes pediátricos, que possuem riscos de luxações e fraturas em seu futuro crescimento. Uma vez que, possuem características como, maior flexibilidade e disponibilidade energética, metabolismo muito acelerado, perda óssea contínua, distensões musculares e deslocamentos ósseos.

Além disso, existem ainda tratamentos alternativos e específicos parar tratar casos de disfunções musculoesqueléticas. Tais como:

  • Fototerapia – laser;
  • Termoterapia – crioterapia e calor;
  • TENS – Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea.

Sendo assim, alguns dos processos complementares utilizadas para reabilitação de pacientes.

Desde que, cada particularidade do paciente seja respeitada. Ou seja, de acordo com o seu caso de forma individual.

Mas, deve ser levado em consideração o fato de que nem sempre o fisioterapeuta contará com a colaboração da criança.

Logo, sendo contraindicado qualquer um dos tratamentos citados. Ademais, é preciso estar atento:

  • Perda ou Retenção de Calor: levando o paciente a precisar de acompanhamento minucioso em casos de aplicação de termoterapia.

Os Métodos Utilizadas Na Fisioterapia:

Por fim, iremos agora falar dos principais métodos utilizados na fisioterapia pediátrica e neonatal, sendo eles:

  • Método Padovan: esse método, foi proposto pela fonoaudióloga brasileira Beatriz Padovan. Sendo assim, exercícios direcionados a simulação do desenvolvimento neuromotor para todas as etapas. Importante ainda, para o amadurecimento do sistema nervoso nas crianças. Em seus exercícios, estão inclusos os processos de deambulação, pensamento e fala, tudo isso através de dinamismo e atividade lúdicas. Melhorando então, a capacidade funcional dos pacientes, que pode ser destina a todas as idades. Acarretando em pacientes pediátricos, resultados elevados já que seu conceito se refere a “andar, falar e pensar”. Algo que, contribui ao desenvolvimento, mas, não se encontra em recém-nascidos e lactentes.
  • Método Bobath: conhecido ainda como “Conceito Neuroevolutivo”, esse método foi proposto por Berta e Karel Bobath. Inicialmente recomendado apenas em casos de Paralisia Cerebral, o tratamento era o único que surtia reais efeitos nesse diagnóstico na época. Contudo, devido as manobras nele presentes, relativas a rotações da coluna cervical e do tronco, passou a ser utilizada em outras circunstâncias. Pois, permite ajustes no posicionamento de pacientes, feitos por eles mesmos. O que por sua vez, inibe os casos de hipertonia, muito comum para Paralisia Cerebral.

Conclusão

fisioterapia pediátrica e neonatal conclusão

Portanto, vimos neste artigo, mais sobre o que é e como funciona a fisioterapia pediátrica e neonatal.

Destinada assim, aos cuidados com recém-nascidos, lactentes e a primeira infância.

Promovendo sua saúde, através de técnicas e conhecimentos as suas características peculiares.

Uma vez que, estes encontram-se ainda em desenvolvimento e crescimento, sendo preciso cuidado para que não haja nenhum efeito negativo sobre.

Mas sim, sendo capaz de realizar a sua reabilitação, amenizando ou inibindo consequências de suas condições.

Se você aprendeu algo novo neste conteúdo, deixe seu comentário e compartilhe!


Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.